Precisão e Reflexão

De repente uma voz surge dentro da minha cabeça
Eu não vou ser privado do mundo real
É isso mesmo que eu sempre quis?
Costumo ser reflexivo, preciso, persuasivo
Uma inquietante virtude dos corajosos

Se funciona? eu não sei
Essas complicações fazem parte das minhas falsas atitudes
Mas este pode ser o nosso último dia sabe?
O que importa afinal?
Tudo se repete…

Plenitude

Acostume-se a esconder sua face
Depois de lidar com tantos problemas
E em certo tempo
Não haverá mais música

Peça silencio
Se este ruído lhe incomoda
Diga então para eles pararem
Ninguém irá

Tudo o que nos prende
Nessas correntes invisíveis
Distanciados da razão
Sem ser por um instante

E em reflexão
Com os pés firmes no chão
E a cabeça erguida
Na direção oposta aos ventos

O que você vê
Compra
Gasta
Desperdiça
Luta
Mente
Sente
Esconde
Chora
Grita
É sempre um ciclo na qual estaremos presos

Castelo de Cartas

Todo o barulho que se interrompe
Deixando a noite sem som
E revelando meu profundo desgosto
Pelo que procuro e não acho

Todas as vozes que dizem não
E todas as vozes que dizem sim
Se misturam
Fazendo meu castelo de cartas cair

Não acredito em milagres
Apenas na auto-defesa
Contra o meu individualismo
E contra o tempo

E se por acaso tudo vier a falhar de novo
Não será culpa nossa
Não será de ninguém
Em breve estaremos todos bem

Paradoxo da Contradição

Um choque de realidades
Quebra-te num momento oportuno
Mantenho-me pasmo e encantado
Sereno e maravilhado
Tudo o que eu fui
Tudo o que eu fiz
Ficou para trás

No paradoxo da contradição
Vive o medo e angústia
O maior desafio da humanidade
Deixar o medo e o ego
A distância – que mesura
O que sentimos se dilata
Ondulações no oceano de ideias permanecerão
Por tempo indeterminado

Política

Vote
Compre
Seu rebanho está pequeno agora
É tempo de crescer
É tempo de saudar a falsa democracia
E eu não sei se eu faço parte da meritocracia

Faça um montante
Separe
E divida com seus amigos
Faça uma hora
Ou pense duas vezes
Você não tem nada a perder

Chame a si mesmo
De um negócio
É tempo de agarrar
É tempo de cavar um novo buraco
E eu não sei se eu estou apenas observando tudo na minha volta

Faça um montante
Separe
E divida com seus amigos
Faça uma hora
Ou pense duas vezes
Você não tem nada a perder

Voe como uma flor
No vento
Queime a sua casa
Para ganhar
Prove o desperdício
Da sua pele

A Vida em Ceres

Estou encarando uma sala
Mas eu sei que ela está fechada pra mim
Eu me sinto como uma bela rainha
E você sabe
Que este é o poder da coroa
E você também quer

Ninguém consegue te ouvir minha querida
Ninguém sabe que eu não consigo esquecer
Quando você fala que nem eu e eu falo que nem você
Mas você esqueceu
È, você esqueceu

A gravidade é forte e sempre vai te puxar para o chão
Mas você esqueceu
É, você esqueceu
Você vai me ouvir bem alto no espaço
Eu sei que você pode e que vai me sentir
Mais forte do que eu eu esperaria
Agora eu finalmente sei
Eu sei como soa

Todo mundo quer um tempo
Todo mundo quer se sentir
Como é viver igual a uma rainha
Como é ficar em um castelo de pedras

Todo mundo quer a coroa
E todo mundo quer poder dizer:
“Eu estou vivendo na realeza
E vocês vão ver quando eu mandar no mundo”

Nas Sombras

Eu gosto de escrever algumas notas quando você não está vendo
Apenas querendo ser mais um nas sombras
Eu gostaria de compartilhar mas eu não consigo
Agora estou no meio do meu próximo passo
E nada faz sentido
É sobre como nos decidimos
Como estamos presos a isso
Eu me senti assim vazio e com medo
O que pode ser pior do que não ter novas ideias?

Abismo

Sozinho na imensidão do abismo
Percebo a amplitude do silêncio absoluto
E além deste, apenas os pensamentos vagos
É como trilhar um caminho escuro
Sem se quer saber da existência de uma trilha

E como em todas as variáveis que surgem repentinamente
Há os rastros de erros
Que se acumulam como pilhas de papéis em uma mesa de escritório
Afinal você nunca tem certeza das direções que você ruma até chegar lá
E a gravidade o puxará para te estagnar

Ninguém quer ser esquecido e isso é óbvio
Cada um de nós em cada canto
Todos somos gênios esquecidos
Até que não sabemos onde somos gênios

Egoísmo

Era só o egoísmo de certo modo
A gente costumava ser dois etc…
Mas essas coisas acontecem
Ninguém pode prever

Nos pensamentos mais profundos
Sua voz ainda estava lá
Não demorou pra eu perceber onde eu estava
Só que eu apenas escrevia

Será que eu vou perder minha chance?
Pode ser a unica?
Pode ser um erro?
Ou um acerto?

Um dia é um passo no outro são exatamente 37 para trás
Mesmo que seus olhos me passem a certeza
De que eu não sou o único que tenta
Mesmo que seus olhos me passem a dúvida
De que eu não sei

Correntes

Como podem as correntes me deixarem preso ao chão?
Eventualmente eu costumava encarar a imensidão
De um universo em particular
Apenas pra perceber
Que eu não era o único que sentia

Foi quando pude perceber os meus sentidos alterados
Sozinho e com o vento na direção certa
Era apenas mais um excêntrico me mantendo distante
De tudo que me atraí e de tudo que desejo

Você sabe que eu irei fazer
Se eu tiver que me defender
Se eu tiver que procurar a sós
O que eu não consigo entender
Pra satisfação momentânea